Quem nos visita
1 user(s) are online (1 user(s) are browsing Artigos)

Members: 0
Guests: 1

more...
Pesquisa
Observação
Além de material próprio este site reúne inúmeras referências a páginas e documentos encontrados na Internet, sobre os quais não temos o menor controle sobre sua disponibilidade. Assim como surgiram na Internet e tivemos a sorte de encontrá-los, podem desaparecer a qualquer momento, sem que em muitas das vezes possamos recuperá-los.

Recomendo meu livro aos interessados em uma reflexão filosófica sobre a técnica, e em particular a informática. Para ler o livro é necessário o leitor Kindle, seja individual ou seja para PC, Mac ou IPAD: AMAZON e AMAZON BRASIL
Responsáveis
João Cardoso de Castro
Filósofo e Mestre em Educação, UFRJ
Murilo Cardoso de Castro
Doutor em Filosofia, UFRJ
Citação Ao Acaso
  • Do mesmo modo, em que a natureza, expondo-se, como um sistema operativo e calculável de forças pode proporcionar constatações corretas mas é justamente por tais resultados que o desencobrimento pode tornar-se o perigo de o verdadeiro se retirar do correto.
    O destino do desencobrimento não é, em si mesmo, um perigo qualquer, mas o perigo.
    Se, porém, o destino impera segundo o modo da com-posição, ele se torna o maior perigo, o perigo que se anuncia em duas frentes. Quando o descoberto já não atinge o homem, como objeto, mas exclusivamente, como disponibilidade, quando, no domínio do não-objeto, o homem se reduz apenas a dis-por da dis-ponibilidade - então é que chegou à última beira do precipício, lá onde ele mesmo só se toma por dis-ponibilidade. E é justamente este homem assim ameaçado que se alardeia na figura de senhor da terra. Cresce a aparência de que tudo que nos vem ao encontro só existe à medida que é um feito do homem. Esta aparência faz prosperar uma derradeira ilusão, segundo a qual, em toda parte, o homem só se encontra consigo mesmo. Heisenberg mostrou, com toda razão, que é assim mesmo que o real deve apresentar-se ao homem moderno. Entretanto, hoje em dia, na verdade, o homem já não se encontra em parte alguma, consigo mesmo, isto é, com a sua essência. O homem está tão decididamente empenhado na busca do que a com-posição pro-voca e ex-plora, que já não a toma, como um apelo, e nem se sente atingido pela ex-ploração. Com isto não escuta nada que faça sua essência ex-sistir no espaço de um apelo e por isso nunca pode encontrar-se, apenas, consigo mesmo. (HEIDEGGER, Ensaios e Conferências, 1954/2002, p. 30)
  • Heidegger
  • Na Metafísica moderna, a esfera da interioridade invisível se determina como a região da presença dos objetos calculados. Esta esfera, Descartes a caracterizou como consciência do ego cogito.
    Quase ao mesmo tempo em que Descartes, Pascal descobre, antítese da lógica da razão calculante, a lógica do coração. O interior e o invisível da dimensão do coração é não somente mais interior que a interioridade da representação calculante – e, por isto, mais invisível – mas leva ao mesmo tempo mais longe que a região dos simples objetos produtivos. (...) No interior desta consciência incomum reside um espaço intimo no interior do qual, para nós, toda coisa superou o numérico do cálculo, e pode assim, livre de limitações, se expandir no todo sem entraves do aberto. Tal supérfluo sobre-numérico nasce, quanto à sua presença, na interioridade e invisibilidade do coração. (HEIDEGGER, Chemins qui ne mènent nulle part, 1949/1962, p. 367-368)
  • Heidegger
  • O sinal não está apenas à mão junto com outro instrumento mas, em sua manualidade, o mundo circundante se torna, cada vez, explicitamente acessível à circunvisão. O sinal está onticamente à mão e, enquanto esse instrumento determinado, desempenha, ao mesmo tempo, a função de alguma coisa que indica a estrutura ontológica de manualidade, totalidade referencial a mundanidade. Ai se enraíza o privilégio desse manual em meio ao mundo circundante ocupado pela circunvisão. (HEIDEGGER, Ser e Tempo, 1986/2006, p. 127)
  • Heidegger

(1) 2 3 4 ... 96 »
Posted by mccastro on 2016/12/31 7:29:25 (53 reads)
Estamos novamente atualizando o site. Começamos pelo software XOOPS, utilizado como gerenciador de conteúdo, e seus módulos.

Em termos de conteúdo, decidimos trazer para este mesmo site (AQUI), o glossário do vocabulário de Heidegger, que estava junto com outros glossários no site Hyperlexikon. Estamos revisando e reorganizando os textos, dando preferência de copiar para o site EREIGNIS os textos do próprio Heidegger, embora mantendo aqui os já existentes. Os textos de seus seguidores devem também passar a ser concentrados aqui, trazendo aqueles que estão em EREIGNIS.

Todo este processo é lento, somos apenas dois, eu e meu filho João. É nosso projeto para 2017. Esperamos seja um BOM ANO para todos!
Posted by mccastro on 2014/8/27 14:15:45 (77 reads)
Completamos hoje uma grande reorganização de duas seções do site «Contemporâneos» e «Análises e Comentários» que passam agora a formar uma única seção denominada «Meio Filosófico» (de Heidegger). O meio filosófico de Heidegger, que aqui consideramos, é composto de duas seções «Contemporâneos» e «Seguidores». Os filósofos em cada seção foram totalmente atualizados em suas descrições, incluindo diversas referências à Wikipedia para sua biografia e bibliografia, como referências a sua obra disponível na Amazon e em depósitos digitais na Internet, e às paginas que mantemos em outros de nossos sites sobre o filósofo. A seguir, pretendemos melhorar a disponibilidade de artigos para cada filósofo, assim como tentar dar uma editoração de boa qualidade no conteúdo dos artigos já existentes.
Posted by mccastro on 2014/8/24 18:40:00 (68 reads)
Estamos atualizando todas as referências (links) disponíveis no site, começando pela principal seção HEIDEGGER E REFERÊNCIAS, onde já conseguimos atualizar todos os links, além de incluir vários links novos. Fica o convite para visitar a SEÇÃO.
Posted by mccastro on 2014/1/28 7:29:15 (184 reads)
Recomendo este blog de filosofia de Nicolas Weill, filósofo-escritor do jornal Le Monde. Vale muito ler as últimas postagens sobre o controverso período da vida de Heidegger, no qual esteve "associado" ao nazismo. A questão deve vir a ter novos aspectos esclarecidos por conta da surpreendente descoberta de um diário do filósofo, que será publicado ainda em 2014.

LER AQUI
Posted by mccastro on 2013/9/27 9:49:42 (176 reads)
Curto vídeo onde Hubert Dreyfus apresenta uma brevíssima exposição histórica sobre a questão da "existência de Deus.
Read more... | 239 bytes more
Vocabulário (novos)